A Unimadeiras leva proprietários a visitar a floresta da Galiza e a partilhar experiências de Boas Práticas Florestais

Categories: Noticias

O projeto FOREST-IN continua com a partilha de conhecimentos entre proprietários Portugueses, Espanhóis e Franceses, agora na região espanhola da Galiza.

Nos passados dias 23, 24 e 25 de janeiro 2018, a  Associação Florestal da Galiza organizou mais um Evento Multiplicador de partilha de Boas Práticas Florestais, que contou com mais de 50 proprietários florestais.

Este evento iniciou com a visita a uma indústria transformadora de madeira de eucalipto, o Grupo Villapol, S.A. (Trabada – Lugo), que tem feito um notável trabalho na transformação de eucalipto de grandes dimensões e na constituição de agrupamento de propriedades de Trabada (concentração de terras privadas e públicas).

Todo este trabalho, baseado num experiência e dedicação de um líder local – Daniel Villapol Valea – foi visto pelos proprietários como um exemplo a seguir e que poderá solucionar parte dos problemas existentes atualmente no que respeita ao minifúndio.

A visita seguiu para a comunidade de Montes Veciñais de Carbalho (Friol – Lugo), onde se pôde visitar a exploração de produtos de uso-múltiplo, tais como  cogumelos, porcos, cavalos e mel. Nesta visita, constatou-se o extraordinário trabalho feito no curto espaço de 10 anos, onde se diversificou a produção florestal com o intuito de a rentabilizar o mais sustentável possível.

A resinagem também foi uma temática discutida e visitada neste evento.

No Monte Veciñal em San Clemente de Cesar (Caldas de Reis – Pontevedra), o Centro de Investigaciones Forestales de Lourizán explicou o trabalho desenvolvido no âmbito das novas técnicas de resinagem aí desenvolvidas, as quais pudemos apreciar no terreno.

Seguiu-se a visita ao monte demonstrativo de Pico Sacro (Boqueixòn – A Coruña),  dinamizado pela Associação Florestal da Galiza, com o objetivo demonstrativo de fixação de carbono, silvicultura de folhosas, produção de madeira nobre, agrupamento de propriedades, entre outros. Também neste local foi possível assistir a explicação sobre o processo de criação da indicação de geográfica protegida da castanha da Galiza, um trabalho notável de promoção/valorização de produtos florestais.

No último dia destas jornadas foi visitada um exploração de madeira nobre de nogueira e cerejeira (Boimorto – A. Coruña), de seu nome Bosques  Naturales S.A., onde se pode avaliar um trabalho exaustivo de melhoramento genético e tratamento silvícola.  Este trabalho  de aperfeiçoamento resulta em melhoramentos notáveis, nomeadamente no que respeita a qualidade de plantas observadas no terreno em crescimento e qualidade da  madeira.

Esta visita fechou com “Chave-de-Ouro” na Cooperativa Erica Mel S.C.G. (Arzúa – A Coruña), onde se conheceu uma instituição verdadeiramente organizada que coopera com os produtores,  ajudando-os a valorizar o produto  que todos conhecemos, muitos produzem, mas poucos o valorizam devidamente – O Mel.

No final,  os debates entre proprietários foram bastante dinâmicos, no que respeita aos portugueses, viram uma realidade próxima com excelente exemplo de gestão .

Em suma, O FOREST-IN deu mais um excelente contributo rumo a uma melhor floresta.